quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Cultura e Cidadania-Oliva Guerra


DIOGO NUNES POCARIÇO
 

Diogo Nunes Pocariço tem 23 anos e é residente em São Pedro de Sintra. Em 2013 terminou a licenciatura em História na ULHT de Lisboa. Em 2013 frequenta o mestrado de ciências da informação e documentação- arquivos e bibliotecas na Universidade Nova de Lisboa. No dia 13 de Setembro de 2013 publicou o Roteiro histórico de São Pedro de Penaferrim e tudo o que o tempo deixou. Desde 2012 pertence à Comissão de Festas de Nossa Senhora do Cabo. Tem como interesses, bibliotecas, arquivos e história de Portugal.


Que ligação tem a artista Oliva Guerra com a freguesia de S. Pedro de Penaferrim? Vejamos adiante. Oliva Guerra nasceu em 1898, em Sintra. Elevando as artes e as letras ao altar da glória foi professora, poetisa e musicista portuguesa. Estando habilitada com o curso de piano e de cultura italiana, começou a exercer a docência, em 1946, de Português e Literatura no Conservatório Nacional de Lisboa. Obras suas de notável erudição foram: Os grandes mestres do piano, Espirituais versos, O tapete encantado. Com os seus conhecimentos apurados traduziu diversas obras do italiano para o alemão. Além das suas traduções colaborou em vários jornais, como O Século, A Voz, Diário de Lisboa.

A sua poesia ficou célebre em antologias, tendo sido elogiada por Alfredo Pimenta. Pianista apreciada e historiadora de música tomou lugar em várias conferências em Lisboa, Porto, Roma e Barcelona. A partir de 1959, Oliva Guerra aceita a presidência do grupo dos amigos da cultura italiana, através do qual, Portugal estabeleceu contato com os valores intelectuais mais qualificados.

Oliva Guerra, grande vulto da Literatura Portuguesa do séc. XX, com os seus 84 anos acabou por falecer, em 1982, tendo doado a Sintra, o seu valioso espólio literário.

Decorrente de uma investigação sobre as memórias de S. Pedro de Penaferrim, averiguou-se que Oliva Guerra viveu em S. Pedro de Penaferrim, na rua Manuel Adriano Mourato Vermelho, no edifício onde funciona uma repartição da Junta de Freguesia(foto abaixo). É de estranhar que ainda não tenha sido colocada uma placa de homenagem na casa onde viveu a artista Oliva Guerra que tanto soube honrar a sua terra natal. Faria sentido este ano, comemorar os 31 anos da morte da artista. A comemoração não só é digna de S. Pedro, mas sim do Concelho de Sintra.


A mostrar Cultura e Cidadania.docx.

3 comentários:

  1. Oliva Guerra não só viveu nessa casa como também lá nasceu.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado por esse contributo. Não sabia que a artista tinha nascido nesta casa.

    ResponderEliminar
  3. Se alguém sabe, gostaria que me informassem porque existe um retrato de Oliva Guerra em Vila Flor (Bragança)? A mim disseram-me que era considerada filha adoptiva de Vila Flor, talvez porque um dos Pais (o Pai ou a Mãe) serem dessa zona.
    De qq. modo continuo sem saber!

    ResponderEliminar